Tempo da Criação: 2008

Este é o primeiro pacote de recursos Tempo da Criação, produzido pela Comunhão Anglicana da África Austral. Aborda os seguintes tópicos: biodiversidade, terra, água, mudanças climáticas, sustentabilidademordomia.

Oração pelo Dia da Terra 2014

Esta oração foi retirada de An Anglican Prayer Book, 1989, e transformada num poster a ser usado no domingo após o Dia da Terra, 27 de abril de 2014.

Tempo da Criação 2016

Um número crescente de igrejas celebra o Tempo da Criação, de 1 de setembro a 4 de outubro. Estes materiais para o Tempo da Criação foram criados pela Igreja Anglicana da África Austral, e traduzidos pela Igreja Lusitana.

Jesus e o Freecycle

«Para uma sociedade cujo deus eram os bens materiais, João foi direto à raiz da idolatria e pronunciou a sentença: “Quem tiver duas túnicas, reparta com quem não tem; e quem tiver comida, faça o mesmo.” (Lc 3.11) Alguma semelhança com a nossa sociedade atual?»

Declaração Whitten sobre o cuidado com a criação

Também chamada Declaração cristã sobre o cuidado com a criação e Declaração evangélica sobre o cuidado com a criação.

«Como seguidores de Jesus Cristo, comprometidos com a plena autoridade das Escrituras e conscientes das maneiras como degradamos a criação, acreditamos que a fé bíblica é fundamental para a solução dos nossos problemas ecológicos.»

A tragédia do tsunami: Onde estava Deus?

«No dia 26 de dezembro de 2004, “tsunami” tornou-se a palavra japonesa mais conhecida em todo o mundo – mais do que “sushi”. Desde esse dia trágico, tem surgido uma quantidade de artigos e cartas em jornais de todo o mundo questionando a credibilidade da fé em Deus à luz de um acontecimento tão terrível. Quanto às histórias sobre a sobrevivência “miraculosa” de edifícios e símbolos religiosos, estas apenas confirmam a convicção ateísta de que toda a crença religiosa provém da superstição e da ignorância. Que tipo de divindade se preocupa mais com as coisas do que com as pessoas?»

Blog A Rocha

O blog Planetwise é o blog de A Rocha Internacional. Publicamos um ou dois artigos por mês em inglês, que depois traduzimos à medida das nossas possibilidades.